Sustentabilidade

Home

Desafio Energético

Luz na Antártida

A redução de energia chegou a 30%, e a vida útil das lâmpadas passou de 7,5 mil horas para 15 mil horas.


Depois de iluminar os milenares Moais da Ilha de Páscoa, no Pacífico Sul, levamos nossas luzes e nossa tecnologia à Antártida, ao iluminar a base de Marambio, um centro de observação científica e de apoio logístico, mantido pela Força Aérea argentina desde 1969 e localizado a 3,6 mil quilômetros de Buenos Aires e a 2,8 mil do Pólo Sul. A base abriga 54 soldados e oficiais, responsáveis pelas operações de segurança e resgate na região, onde as temperaturas variam de 2 graus Celsius negativos, no Verão, a menos 20 graus, no Inverno. Por causa dos ventos, a sensação térmica pode chegar a 60 graus Celsius negativos.

O sistema de iluminação implementado na base garante uma visibilidade segura e constante no deslocamento interno das pessoas, sobretudo nas noites de inverno, quando se deslocar pelas passarelas que unem os edifícios costumava ser muito difícil e perigoso, requerendo o uso de faroletes e lanternas.

A solução instalada foi composta por módulos de lâmpadas com a tecnologia LED's , plantados em postes elevados para evitar que fiquem soterrados pela neve. Também substituímos toda a iluminação no interior dos prédios da base por lâmpadas econômicas. A redução de energia chegou a 30%, e a vida útil das lâmpadas passou de 7,5 mil horas para 15 mil horas. Além da economia, o projeto contribuiu para a preservação do meio ambiente, ao possibilitar uma diminuição substancial no óleo diesel utilizado na usina geradora de energia O projeto, desenvolvido pela Philips Argentina, foi concluído no início de 2008 e pautou-se pelo conceito One Philips ao levar a Marambio, além da tecnologia, saúde e estilo de vida: foram ofertados produtos de cuidados pessoais e cuidados com a saúde (desfibriladores). Como curiosidade, o primeiro televisor LCD produzido na nossa fábrica na Terra do Fogo foi dado como presente à base.